KIT N7

Trata-se de um produto para suprir deficiências e estimular o crescimento vegetal. É solúvel em água com teor 7% p/p 81,2 g/L. Registro no MAPA: RP SP81971-10009-4.
Pode ser aplicado nas culturas de soja, milho, cana e demais cultivos, em períodos vegetativo e reprodutivo.

É uma enzima de urease que converte a ureia em forma amoniacal. Quando a ureia é diluída em água, tornando sua forma líquida e acrescentada à dose correta, para ocorrer a dissociação dos eletrólitos, que é o gás de amônio, obtendo-se uma solução amoniacal altamente solúvel pelas plantas, um fertilizante potente de alto impacto de absorção. Pelas ligações químicas, se torna um fertilizante sistêmico translocando via xilema e floema. Essa urease ocasiona uma redutase do HN3 para o HN4.

No mesmo processo obtido com o uso do KIT N7, tem-se o processo de AMONÓLISE. Isso significa que qualquer reação química análoga à hidrólise tem a função semelhante à da água, sendo um ou mais átomos de hidrogênio na amônia.

Por isso, o KIT N7 está revolucionando a agricultura na nutrição e manutenção do nutriente Nitrogênio, podendo substituir totalmente o adubo sólido utilizado sobre cobertura em plantas.

Com o KIT N7, o próprio produtor faz seu Nitrogênio líquido em substituição da ureia. Dessa forma, usando o KIT N7 na ureia diluída tem-se o N em várias bases absorvíveis pela planta, com um custo baixo e mais eficiência do que a ureia sólida.
  
Estudos de campo indicam que 100 Kg de ureia jogada a lanço podem ser substituídos por 16 litros da Solução gerada pela diluição da ureia com o KIT N7.

O Nitrato (NO3) é a forma mineral de Nitrogênio predominante nos solos sem restrição de Oxigênio. Devido ao predomínio de cargas negativas na camada arável, a sua absorção eletrostática é insignificante. Dessa forma, o Nitrato permanece na solução do solo, o que favorece sua lixiviação no perfil para profundidades inexploradas pelas raízes (Ceretta & Fries, 1997). A lixiviação de Nitrato é considerada a principal perda de N disponível às plantas (Errebhi et al, 1998). Ela é influenciada diretamente pelos fatores que determinam o fluxo de água no solo e pela concentração de NO3 na solução (WHITE, 1987).

O que é a urease?

A urease catalisa a hidrólise de ureia em dióxido de carbono e amônia. Encontram-se principalmente em sementes, microrganismos e invertebrados. Nas plantas, a urease é um hexâmero – consiste em seis cadeias idênticas – e localiza-se no citoplasma. Em bactérias, é constituída por duas ou três subunidades diferentes. Para ser ativada, a urease precisa ligar-se a dois íons de níquel por subunidade.

A urease é uma enzima que catalisa a hidrólise da ureia em dióxido de carbono e amônia

. A reação é a seguinte:

(NH2)2CO + H2O ? CO2 + 2NH3

Urease no ciclo do azoto

 O azoto é um elemento crucial para o crescimento das plantas, mas a maior parte delas apenas consegue usá-lo na forma de amônio ou nitrato. Apenas as leguminosas (graças às bactérias com as quais vivem em simbiose) e as cianobactérias conseguem usar azoto elementar atmosférico.

Características da urease

A urease é uma enzima que, em meio aquoso, catalisa a hidrólise da ureia em amônia e dióxido de carbono. Algumas enzimas requerem um componente não protéico para sua atividade denominado coofator. O coofator enzimático da urease é o íon metálico. Portanto, a presença de íons, doadores ativa o sítio da urease e é essencial tanto para a atividade funcional como para a integridade estrutural dessa enzima.

MODO DE PREPARO DO KIT N7

900 KGS DE UREIA - SIMPLES, SEM SER PROTEGIDA MELHOR ESCAMADA Colocar 600 litros de água dentro de uma caixa d’água, e ir adicionando a ureia lentamente para não empedrar e, com alta agitação, esperar voltar à temperatura ambiente para acrescentar 50 litros do KIT N7. Está pronta a solução, com um total de 1.250 litros, e é só armazená-la em local fresco em IBC – deixe fechado. Dura até 1 ano.